Ebooks - M

Magro, de Olhos Azuis, Bocage (Poema)




1º. Momento/ parte: 2 quadras, 1º. terceto; • 2º. Momento / parte: 2º. terceto. Esquema rimático: • abba, abba, cdc, dcd Tipos de rima: • emparelhada (bb), interpolada (aa), cruzada (cdc, dcd); • toda grave; • rica: talento/pachorrento; pobre: a restante; • consoante: toda.







(Os) Maias, Eça de Queirós

A história de três gerações da família Maia, uma família aristocrata da sociedade Lisboeta da segunda metade do séc. XIX. Uma obra que serve de pretexto para o autor fazer uma crítica à situação do país a nível político e cultural e à alta burguesia lisboeta oitocentista, por onde perpassa um humor (ora caricatural, ora satírico) que configura a derrota e o desengano de todas as personagens. É a obra-prima de Eça de Queirós, publicada em 1888, e uma das mais importantes de toda a literatura narrativa portuguesa. É um romance realista (e naturalista) onde não faltam o fatalismo, a análise social, as peripécias e a catástrofe próprias do enredo passional..


Mar Me Quer, Mia Couto

Um dia o padre Nunes me falou de Luarmina, seus brumosos passados. O pai era um grego, um desses pescadores que arrumou rede em costas de Moçambique, do lado de lá da baía de S. Vicente. Já se antigamentara há muito. A mãe morreu pouco tempo depois. Dizem que de desgosto. Não devido da viuvez, mas por causa da beleza da filha. Ao que parece, Luarmina endoidava os homens graúdos que abutreavam em redor da casa. A senhora maldizia a perfeição de sua filha. Diz-se que, enlouquecida, certa noite intentou de golpear o rosto de Luarmina. Só para a esfeiar e, assim, afastar os candidatos. Depois da morte da mãe, enviaram Luarmina para o lado de cá, para ela se amoldar na Missão, entregue a reza e crucifixo. Havia que arrumar a moça por fora, engomá-la por dentro. E foi assim que ela se dedicou a linhas, agulhas e dedais. Até se transferir para sua atual moradia, nos arredores de minha existência.



Máscaras do Destino, Florbela Espanca

Uma série de contos escritos por Florbela Espanca, totalmente dedicados à memória do irmão da poetisa, Apeles Espanca, que faleceu tragicamente num acidente de aviação a 6 de Junho de 1927. A obra reúne os contos: “O Aviador”, “A Morta”; “Os Mortos não Voltam”; “O Resto é Perfume”; “A Paixão de Manuel Garcia”; “O Inventor”; “As Orações de Soror Maria da Pureza”; “O Sobrenatural”. Obra publicada em 1931, um ano após a morte da poetisa, mas foi escrita em 1927, logo após a morte do irmão de Florbela.
Muito se tem discutido sobre a natureza da relação de Florbela com o seu irmão Apeles, havendo muitas especulações se a poetisa sentia pelo irmão algum amor platónico em segredo; se esse era um sentimento recíproco e mantinham ambos uma relação incestuosa; ou se tudo era fruto de uma forte ligação de amizade fraternal.

Mensagem, Fernando Pessoa



Mensagem é um livro de poemas de Fernando Pessoa, que revisita e, em boa parte, cria, uma mitologia do passado heróico de Portugal. É composto por 44 poemas, agrupados em 3 partes (“Brasão”, “Mar Português” e “O Encoberto”) que representam as três etapas do Império Português: Nascimento, Realização e Morte, seguida de um renascimento. Publicada apenas um ano antes da morte do autor, em 1934, a obra trata do glorioso passado de Portugal de forma apologética e tenta encontrar um sentido para a antiga grandeza e a decadência existente na época em que o livro foi escrito.


(O) Mercador de Livros Malditos, Marcello Simoni

Uma incursão apaixonante pela história. Uma viagem no tempo até à época medieval.
É quarta-feira de cinzas do ano de 1205. O padre Vivïan de Narbonne é perseguido por um grupo de cavaleiros que ostentam estranhas máscaras. O padre possui um bem muito precioso que precisa de proteger a todo o custo, mesmo que tal possa significar a sua morte... Treze anos passaram sobre este dia tenebroso... O amigo do padre, Ignazio de Toledo um mercador de relíquias, é encarregado de seguir o rasto de um livro raro, o Uter Ventorum. Diz-se que essa cópia de certos manuscritos persas pode conter o método de evocar os anjos e a sua divina sabedoria.



("As) Minhas Asas", Almeida Garrett (Poema)


João Batista da Silva Leitão de Almeida Garrett e mais tarde 1.º Visconde de Almeida Garrett, (Porto, 4 de fevereiro de 1799 — Lisboa, 9 de dezembro de 1854) foi um escritor e dramaturgo romântico, orador, par do reino, ministro e secretário de estado honorário português.
Grande impulsionador do teatro em Portugal, uma das maiores figuras do romantismo português, foi ele quem propôs a edificação do Teatro Nacional de D. Maria II e a criação do Conservatório de Arte Dramática...



(O) Mistério da Estrada de Sintra, Eça de Queirós e Ramalho Ortigão

Um médico que está a passar de carruagem numa estrada de Sintra é surpreendido e sequestrado por quatro figuras mascaradas que o levam para uma misteriosa casa no meio de Sintra. Lá dentro encontrava-se o cadáver de um homem. Daqui se levantam várias perguntas: Quem era aquele homem; como morreu e quem o matou. A procura de respostas a este caso leva a uma empolgante história de intriga,  suspeitas, ameaças, duelos e sexo, numa viagem que vai de Portugal à ilha de Malta. Considerada a primeira obra portuguesa de cariz policial o “O Mistério da Estrada de Sintra” guarda ainda o interesse histórico de fazer parte de uma estratégia usada pelos seus autores – Eça de Queirós e Ramalho Ortigão – para enganar os leitores levando-os a pensar que se tratava de um caso real, tal como faria 68 anos depois Orson Welles no seu relato por rádio da “Guerra dos Mundos”.

Sem comentários:

Enviar um comentário